Pesquisar este blog

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Confirmado: deus está em baixa

Deus: um declínio
Uma agência de pesquisas americana, a Public Policy Polling cansou-se de fazer sondagens populares sobre os políticos e, durante uma enquete sobre diversas figuras em evidência na mídia, finalmente fez a grande pergunta: “Se Deus existe, você aprova ou desaprova sua atuação?” Realizada entre 15 e 17 de julho, a pesquisa revelou que 52% dos 928 entrevistados aprovam a atuação de Deus. 40% estão indecisos e 8% o desaprovam. A margem de erro é 3,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Alguns aspectos do divino governo também foram pesquisados. Questionados sobre a performance de Deus na criação do Universo, 71% aprovam; 5% desaprovam e 24% não souberam opinar. Entretanto, quanto mais se aproximam do mundo humano, mais cai a aprovação para as ações de Deus: só 56% aprovam o modo como o Todo-Poderoso cuida do reino animal e apenas metade do público aprova a atuação do Criador quanto aos desastres naturais. Infelizmente, porém, não foram feitas perguntas sobre as ações de Deus diante de problemas que afetam diretamente os humanos, como fome, miséria, violência, guerras (inclusive as santas) e segunda-feiras. Sem surpresa, os jovens entre 18 e 29 anos são mais críticos com relação a Deus; os maiores de 65 são os que mais o aprovam.


Embora tenha sido feita apenas nos Estados Unidos (#ficaadica, Ibope!) podemos depreender o seguinte: 1) Dados similares no Brasil mostrariam que Lula — que teve amplo apoio dos evangélicos — aparentemente foi maior que Deus (se é que não continua sendo); 2) Na prática, pode-se concluir que quase metade do público (norte-americano), 48%, é ateu ou agnóstico.

Nunca antes na história deste universo o PC (Partido Celestial) esteve tão em baixa — ao menos nos Estados Unidos, onde o criacionismo ainda é divulgado em escolas a título de “ensinar a controvérsia”. Aparentemente, a  tática não tem dado muito certo... Levando-se em conta a margem de erro e a popularidade divina em baixa na Europa e na Austrália já há algum tempo, a reeleição de Deus estaria ameaçada se o cargo-mor do Universo fosse eletivo. Felizmente, para ele e infelizmente para nós, seu governo é uma monarquia absolutista e autocrática (se existir, é claro).

Procurado pela nossa reportagem, Deus não se manifestou. Nem São Pedro, nem os anjos, nem o herdeiro hippie, Jesus Cristo. Seus relações-públicas na Terra, entre os quais estão o Papa, o Dalai Lama e o bispo Edir Macedo também não comentaram os resultados da pesquisa. Aos berros, o pastor ali da esquina disse que isso é tudo intriga da oposição e que pesquisa é “coisa do demo”. Ainda não há dados sobre a popularidade do líder da oposição, Satã, que também não concedeu entrevista. O relatório completo da pesquisa poder ser visto aqui — não, não naquele “aqui”, neste “aqui”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este espaço destina-se à ampliação das dimensões apresentadas no texto através uma discussão civilizada - o que exclui comentários que contenham ofensas pessoais ou qualquer tipo de preconceito (por cor, crença religiosa ou falta crença, gênero ou orientação sexual).

Postagens anônimas são permitidas, desde que não cometam qualquer abuso citado acima.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...